segunda-feira, 9 de março de 2015

Astronomy Picture of the Week: Pilares e Jatos na Nebulosa do Pelicano

A minha vontade é de postar todas as imagens do Astronomy Picture of the Day, mas escolho só a minha favorita da semana. Para essa escolhi uma exageradamente e artificialmente colorida.

Para ver texto e imagem originais, clique aqui.

Tradução porca feita por mim:
"O que são essas estruturas escuras que surgem da Nebulosa do Pelicano? Visível como uma nebulosa com formato de pássaro na constelação de um pássaro (Cygnus, o Cisne), a Nebulosa do Pelicano é um lugar pontilhado com novas formações de estrelas mas com pouca poeira escura. Essas pequenos grãos de poeira formados na atmosfera gelada de estrelas jovens foram dispersos pelo vento estelar e explosões. Impressionantes jatos Herbig-Haro são vistos emitidos por uma estrela à direita que está ajudando a destruir o pilar de um ano luz no qual está contida. A imagem foi cientificamente colorida para enfatizar a luz emitida por pequenas porções de nitrogênio, oxigênio e enxofre ionizados na nebulosa feita predominantemente de hidrogênio de hélio. A Nebulosa do Pelicano (IC5067 e IC5070) tem cerca de 2 mil anos luz de extensão e pode ser encontrada com um pequeno telescópio ao norte da brilhante estrela Deneb."

Muitas imagens astronômicas são coloridas artificialmente, seja porque não conseguimos ver naturalmente alguns comprimentos de onda, ou para enfatizar alguns pedaços que merecem atenção, como neste caso. Nebulosas são formadas predominantemente pelos elementos hidrogênio e hélio, para conseguirmos ver a luz emitida por outros elementos ionizados, precisamos ressaltar a luz que ele emite, dando uma coloração artificial. Neste caso, os elementos nitrogênio, oxigênio e enxofre é que estão coloridos. Sem este efeito, a nebulosa tem esta aparência:



A imagem acima também foi tirada do Astronomy Picture of the Day, só que a imagem pega um campo maior do céu e está virada. A região mostrada na primeira imagem está no topo desta e de ponta cabeça, dá até para ver os pilares de poeira.

Admito que nunca vi a Nebulosa do Pelicano em um telescópio, mas tenho de colocá-la em minha lista. Uma coisa que aprendi neste post foi sobre estes jatos Herbing-Haro, objetos presentes na formação de novas estrelas e que surgem como jatos de gás que parecem sair da estrela jovem. Preciso estudar um pouco mais sobre isso, sempre é interessante saber algo novo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário