segunda-feira, 25 de maio de 2015

Astronomy Picture of the Week: Aglomerado Globular 47 Tuc

Primeiramente: FELIZ DIA DA TOALHA! A minha vontade é de compartilhar todas as imagens do Astronomy Picture of the Day, mas escolho só a minha favorita da semana. 


Para essa eu escolhi um aglomerado de estrelas lindo. Nós do hemisfério sul temos a sorte de conseguir observar os dois aglomerados globulares mais brilhantes do céu.

Toda vez que vejo esse aglomerado, lembro-me de quando um amigo mostrou esse aglomerado para um gringo. O cara começou a chorar, pois ele fez anos de pesquisa em estrelas variáveis neste aglomerado, mas nunca tinha visto realmente como ele parecia. Trabalhar com divulgação de astronomia pode ser emocionante demais, sempre tem situações em que as pessoas nos deixam imensamente felizes.


Para ver texto e imagem originais, clique aqui.

Tradução porca feita por mim:
"O aglomerado globular 47 Tucanae é uma caixa de jóias do céu do Sul. Também conhecido como NGC104, percorre o halo da nossa Via Láctea junto com outros 150 aglomerados globulares. O segundo aglomerado globular mais brilhante (depois de Omega Centauri) é visto do planeta Terra, 47 Tuc está a cerca de 17 mil anos luz de distância e pode ser notado à olho nu próximo da Pequena Nuvem de Magalhães, na constelação do Tucano. O denso aglomerado é feito de centenas de milhares de estrelas em um volume de apenas 120 anos luz de extensão. Observações recentes mostraram que as anãs brancas de 47 Tuc estão em processo de serem gravitacionalmente expelidas para outras partes do aglomerado devido a sua relativamente baixa massa. Outras estrelas coloridas de baixa massa, incluindo as gigantes amarelas e avermelhadas são fáceis de ver na periferia do aglomerado nessa recente imagem telescópica do Telescópio Espacial Hubble."

Eu já mostrei um aglomerado aberto, o aglomerado da Borboleta ou M6. Já esse aglomerado e hoje, é do tipo globular, Ele possui esse nome pois na ocular do telescópio ele realmente tem aspecto de globo. Diferentemente dos aglomerados abertos que possuem poucas estrelas, os globulares tem números enormes distribuídos na forma de esfera. A região central deles tem tantas estrelas que nem é possível ver o outro lado, fica esbranquiçado. Os aglomerados globulares formaram-se na mesma época que nossa galáxia, o formato de globo deve-se à grande quantidade de corpos interagindo gravitacionalmente.

 As pessoas que vão ao observatório e observam um aglomerado globular pela primeira vez soltam somente uma expressão de "aaaah, essa manchinha". Mas quando falamos que essa manchinha tem centenas de milhares de estrelas e que se olharem com atenção nas bordas, conseguirão distinguir alguns pontos, aí sim elas ficam impressionadas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário